FORÇA DE VONTADE

Judith Herzberg
(trad. Ana Maria Carvalho)

Força de vontade. Coragem. Perseverança
Quantas vezes prometemos a nós próprios,
até ficarmos ridículos, profundamente ridículos,
até sentirmos o remorso cobrir-nos de suores frios
e o eu dentro de nós transformar-se num novelo,
tentando em vão enganar-nos.


Quando afinal à nossa volta nenhuma
força de vontade, nenhuma perseverança
faz brotar os jacintos de dentro dos bulbos,
a cabeça repousar na almofada
o corpo abandonar-se à dor
se tiver de ser. Espera, talvez passe.
Força de vontade, coragem, perseverança, coitadas.




 

LONGE E ACABADO

(Ulla Hahn
(versão de João Barrento)

Não tenho medo de sofás vazios
ficam na sala da minha lembrança
como adereços de uma vida acabada
Desde que te esqueci revive a esperança

Agora tenho outro à porta em certos dias
Deixo-o entrar levo-o para a minha cama
e passo-lhe a mão pelos cabelos
como tu me fazias

Gosto de ti como de um quadro de um poema
que o tempo torna nossos pessoais
Fazer parte de mim e tudo o mais já está esquecido. Longe e acabado como tu.



 

 

Ano 2020

Lou Viana

Mais uma mulher
que cede à tentação
de posar vestida


 

 

Elegia

 

Lina Tâmega Peixoto

A noite enruga as palavras
cansadas de estar de pé.
A medida com que sustento a cantiga
é tão triste, tantas vezes repetida,
que, num sopro, se desgasta.

Oscila em claro-escuro a voz
que te move no meu verso.
Preso ao símbolo que me desalinha o corpo,
em estribilho e dor,
reflui em meus segredos
e goteja em meus seios
um quase indefinido amor.

Desembrulho outras palavras
e extingo a noite
- plana, seca e desesperada.

 

DOS PRIMEIROS ROMANCES

Joca de Oliveira

Éramos bem jovens
E ela mais generosa
Me dava de presente
Lenços perfumados
Comprava pipoca voadora
E confeitos mel de abelha
Antes do cinema
Fácil fazer alguém
Feliz

Também me beijava
Com um pouco de sorvete na boca
Com sua boca toda
Botava a mão
Dentro de minha calça
Segurava minha felicidade

Depois, vieram os invejosos
E me contaram
Que a moça era muito falada.
Todos.
A sociedade e seus valores...

Nunca me importei
Nem me tornei um cínico!


Cresci
Aprendendo a lidar com os acusadores.

 

 

 
 
 
poeta da vez
indicações: leia mais
editora da palavra